terça-feira, 23 de novembro de 2010

e agora, povo?

Alguma coisa vai muito mal quando são os empregadores, incluindo o governo, a encher a boca a lembrar que a greve é um direito constitucional dos trabalhadores. Vejo mais incentivos à greve por parte do governo do que por parte de alguns sindicatos. Fazendo greve estamos apenas a fazer a única coisa que o governo consegue prever. Eu gostava de lhes trocar as voltas. Eles sabem que vão continuar no poder, mais alaranjado ou rosáceo, eles vão lá estar. Não é uma greve geral que lhes tira a confiança. Eu gostava de os assustar.
Faço greve por aqueles que não a podem fazer. Os desempregados, os reformados, os desgraçados. Não faço greve para mostrar o meu descontentamento, isso faço quando voto.
Gostava que esses pelos quais faço greve votassem por mim.

Sem comentários:

Publicar um comentário